terça-feira, 2 de junho de 2009

Passei uma década a engordar e emagrecer...


Olá!

Na ultima década tive várias flutuações de peso. Umas maiores, umas menores.

Exemplos das minhas flutuações:

- Dos 70 para os 95Kg

- Dos 95 para os 90Kg

- Dos 90 para os 95Kg

- Dos 95 para os 85 Kg

- Dos 85 para os 73 kg

- Dos 73 para os 100Kg

- Dos 100 para os 95Kg

- Dos 95Kg para os 107Kg

- Dos 107 para os 97Kg

- Dos 97 para os 110 Kg

- Dos 110 para os 101Kg

- Dos 101 para os 110Kg


Bom agora que escrevi isto, ainda parece mais do que eu pensava!!!

Pois é, sempre a andar para a frente e para trás. Ou seja, apesar de conseguir manter o peso durante alguns periodos, tive oscilações muito grandes. E isto numa década!!! Comportamento nada saudável. Acaba por ser desmotivante e dá sempre o medo de voltar a engordar de novo.

por isso é necessário sair do efeito "iô-iô".

Isto claro comporta vários riscos para a saúde física e mental também.


Por isso, decidi colocar aqui um texto do site da roche sobre o dito efeito:


«Flutuações de peso


Ter alguns quilinhos a mais pode ser menos prejudicial do que viver permanentemente em dietas, que propiciem flutuações constantes no peso. É o chamado "iô-iô" do peso ou "Síndroma do iô-iô". Estas flutuações de peso podem ser tão ou mais nefastas que o excesso de peso inicial. Perdas e ganhos de peso consecutivos podem desencadear alterações do comportamento alimentar, diminuir o metabolismo basal dificultando ainda mais o controlo do peso a longo prazo e podem ainda originar problemas psicológicos, como a diminuição da auto-estima, sentimentos de fracasso e frustração.

As melhorias de saúde que a perda peso propicia, quando é bem conduzida, desvanecem-se com as flutuações de peso. O "Síndroma do iô-iô" pode mesmo agravar uma doença pré-existente, como no caso das doenças cardiovasculares, além de facilitar a acumulação de maiores quantidades de gordura com todos os prejuízos que daí resultam.

O problema do “iô-iô” advém, na maioria das vezes, de dietas selvagens, programas inadequados de actividade física e outras estratégias incorrectas e prejudiciais que são utilizadas com o fim de perder (muito) peso rapidamente. Nunca é demais lembrar que perdas rápidas de peso originam uma considerável perda de massa muscular, sobretudo quando não é praticada uma actividade física adequada e suficiente. Nestas dietas selvagens, muito restritivas e portanto insustentáveis a longo prazo, cedo se retomam os “maus velhos hábitos” e os indesejados quilos depressa regressam, às vezes em dobro. Como se isso não chegasse, devido à falta de exercício regular e ao tipo de dieta praticado, o peso ganho é sobretudo massa gorda. Conclusão tem mais peso e, pior, tem muito mais gordura, que gasta menos energia do que gastava a massa muscular perdida. Com o repetir deste ciclo de perdas e ganhos de peso as necessidades de energia são cada vez menores para manter o peso corporal e cada vez se torna mais difícil perder peso. As resistências físicas à perda de peso vão somar-se às resistências psicológicas de quem leva a vida em sucessivos fracassos.


Como evitar o "iô-iô"


Para evitar o síndroma do “iô-iô” não adira a programas enganosos, que prometem avultadas perdas de peso em pouco mais que alguns minutos. A perda de peso deve ser lenta e gradual, para que seja feita sobretudo à custa de gordura. Deve ter por base um plano alimentar equilibrado, moderadamente hipocalórico, sempre acompanhado de exercício físico regular, de forma a evitar o reganho de peso. Lembre-se que, na maioria das vezes, há reganho de peso, isto é, atinge-se um peso superior áquele com que se iniciou a dieta.A modificação dos hábitos alimentares e de actividade física constitui a única maneira de emagrecer para toda a vida e não apenas até à próxima dieta!»


Tenham uma boa semana!


7 comentários:

disse...

Uau, Dianna! Vc bateu meu recorde no efeito sanfona,rsrsrs. Mas eu não desisto e vou continuar voltando pro ponto de partida sempre que me distanciar dele. Só não vou deixar que a distância aumente tanto como antes. Bjs e força aí.

**Má** disse...

Oi lindona... valeu a visita... assim que eu tiver um tempinho a mais faço a brincadeira tá... bjim

Lotus Blossom disse...

Sem dúvida que a solução é mudarmos os hábitos alimentares e ficarmos menos sedentárias. Mas são muitos anos a usar a comida como escape e solução rápida para os nossos problemas e frustrações e isso não é tão fácil de mudar. Mas com insistência conseguimos criar hábitos saudáveis de alimentação e exercício físico (apesar de eu não ser um bom exemplo). Jokas e força!!

Franciely disse...

Gostei da dica flor!!!
Estarei torcendo por vc, e que Deus te abençoe.
Tenha uma linda quarta feira.
Bjokas:)

Rachel disse...

É realmente bastante frustrante, não? Eu tb passei pela mesma coisa, mas podemos tudo o que queremos e vamos perseverar! Te desejo um di alindo! Bjs e é bom investigar os efeitos emocionais... quais motivos te levaram a andar pra trás? Eu estou investigando e acho que vale muito a pena!

Algodão Doce disse...

Olá!
Interessante esse teu post...comigo aconteceu o mesmo, é um sobe e desce que até mete medo.
Obrigado pelos selinhos, assim que chegue de férias vou fazer o meu post.

Beijocas e espero que a semana esteja a correr bem.
Algodão Doce

Anabela disse...

Ai minha querida, esse maldito iô-iô ou a safona como diz a Zá.....é lixado!
Eu acho que já passei muito mais que uma decada emagrecendo e engordando e nem me atrevo a fazer essa separação para não acabar a pensar que enfim, vida de obeso é....cubo picasso!!
Mas pronto, mais razão temos em achar que o caminho certo é persistir , lutar, encarar o touro pelos cornos, com firmeza, e não ter medo do bicho!
Vamos vacilar? sim...vamos. Aliás vacilamos. Há momentos, mas mesmo assim e por todos os motivos, especialmente o mais importante , POR NÓS, vamos lutar e não desistir!!
Diannita, tu és das pessoas que mais me orgulho de todos os blogs. E por isso te referenciei. Aliás qdo vejo alguém desistir só me apetece dizer...vejam akiiiii,vejam aliiii, como é possível!!
porque todos conseguimos, não sou a catwoman....sou normalinha, tu és normalinha, enfim, não fazemos mais que lutar e qdo caimos, sacudimos a poeira, limpamos os joelhos e mm que sangrem, a gente levanta o queixo e "ala" pra frente!!
Vamos continuando a passar essa mensagem pelos blogs, tentando q as pessoas se sintam bem e motivadas para essa conquista!
Mil beijos de carinho e vamos em frente que a balança não nos assusta (...tanto!)