domingo, 7 de junho de 2009

A menina de coração partido...

Olá meninas!
Em conversa com uma amiga, fiquei a saber que uma conhecida minha e amiga dessa minha amiga, que já namorava há alguns bons anos com um rapaz, já não namorava com ele.
Segundo ela, eles acabaram a relação porque ela engordou muito. Deixou de haver atracção, ele passou a ter vergonha dela e a relação deixou de ter "sal". Cá entre nós, não creio que tenha sido só por isso, talvez os caminhos deles já estivessem a divergir há mais tempo. Mas cada um sabe das suas relações e no que são baseadas...
O certo é que ela está com a auto-estima em baixo, achando-se a mulher mais horrivel do mundo, rejeitada e que nunca mais vai arranjar namorado. E o certo é que ela está a engordar cada vez mais. Por isso, essa amiga que temos em comum, pediu-me para falar com ela. Pois ela diz que não vai conseguir emagrecer e que tudo na vida dela corre mal porcausa do excesso de peso.
Encontrámo-nos! Ela tem cerca de 89 Kg. E quando cheguei, ela devia pensar que me iria encontrar com menos peso que ela. Mas acho que ela se sentiu bem mais a vontade, por estar a falar com alguém bem mais pesada que ela!
Foi bom estarmos à conversa. Partilhar sentimentos. Mas a conversa estava a desviar-se para um lado mais pessimista e de queixume.
Eu apelei ao auto-conhecimento, à não vitimização, ao conhecer os mecanismos pelos quais nos deixamos levar pelas teias da compulsão alimentar. Aconselhei-a a procurar ajuda.
Mas no meio da conversa, apercebi-me do trauma enorme de rejeição por parte do namorado, por causa do físico dela, dos abusos verbais. E aquele coração partido anda à procura do seu rumo. Espero que ela encontre o seu caminho e que aprenda a gostar de si própria e a não se rejeitar.
Estava lá eu supostamente a aconselhá-la, mas também estou no caminho de me descobrir e gostar de mim pelo que sou e ser mais confiante. Não é de um dia para o outro.
Espero que ela saia do buraco onde está e que veja que a mudança é possivel e que se mudar por dentro mudará por fora. Que ser gorda não é o fim do mundo. Que ela por ser gorda não é horrivel. E que se não gosta da imagem que o espelho transmite pode sempre mudar.

Até que ponto damos mais importancia àquilo que os outros pensam de nós ou da imagem física que transmitimos e deixamos de dar importância àquilo que realmente importa?

8 comentários:

Anabela disse...

Quem já não se sentiu assim?...
Há uns anos atrás estive nesse "sítio"...perdida, sentindo-me só, olhada, recriminada, sei lá....antes desta renascimento, qdo cheguei aos 136.6 não me sentia mt diferente.
Vamos ser realistas que vivemos numa sociedade de imagem. Ou somos mais ou menos o que idealizam ou qdo procuramos emprego ( k era o meu caso) sentes que só os olhares te ferem fundo.
Passei por tudo....olhares, bocas foleiras, risinhos idiotas e isso fica recalcado durante muito tempo.
No meu caso, ironicamente foi bom, hj admito. ABANOU-ME!!! Hj confesso que adicionei à minha motivação, todas as coisas negativas q passei e pensei "vou calar esta gentinha de merda!"
E calei, ainda vou calar mais!
A menina de coração partido já não teria a sua relação mt bem, mas acredito que tenha havido diminuição do desejo, que leva a diminuição do resto...isto era uma conversa q dava pano pra mangas...
Agora, ela, todas nós, qdo iniciamos estes processo devemos faz^-lo por nós e para nós, não por outros. Tem q partir de dentro!
Ela tem k procurar o click e transformar os traumas em energia renovada.
Um dia o outro vai passar por ela e vai pensar "eiiiiiiii k eu fiz uma grande asneira!!"....
Se tiveres opurtunidade mostra-lhe um pouco dos blogs, fala-lhe da tua experienciia. Não sei, mostra--lhe o video q mostrei "Nunca desistir"..essencialmente leva-la a acreditar q quem acredita é capaz. Quem acredita, chega lá e não somos o "Super-Rato", somos pessoas normais q um dia acreditaram q eram capazes de mudar e q todos os dias renovam, com a luz do dia, a esperança de continuar...e cá estamos!!
Dianninha, acredito k junto de ti, ela consegue!
Tens aí uma mssão!
Eu já abracei várias, amanha volto a ter o Gustavo, ou melhor, mais o Gustavo e permaneço de olho em todos.
Beijos de mt carinho

Silvia disse...

Também já acabei uma relação de vários anos, não por causa do peso mas porque nos fomos afastando. E por acaso tenho uma amiga exactamente na mesma situação da tua amiga, em que o namorado durante muito tempo lhe dizia que estava gorda, não tinha qualquer problema em a ofender, acabaram e ela agora deve andar perto dos 100kg. Isto aconteceu já há um ano e ela continua a achar que ninguem a quer, que é por estar com peso a mais... mas nem tudo se resume a isso. Mas é normal que a tua amiga agora esteja assim... lembra-a que o tempo cura tudo e que não é por ter kg a mais que ninguem olha para ela :)

Anabela disse...

Nem mais....qdo estavas a dizer-lhe estavas a exorcizar-te tb e a falar para ti mesma...
É um dos benefícios dos blogs, de dar motivação aos outros, passa por essa auto-ajuda que todos os dias fazemos. Entendi na perfeição tudo o que me disseste e concordo plenamente.
Rastejar...pois aí não! Tu já não rastejas mais...podes cair de joelhos no chão mas já não cais de corpo inteiro e ficas lá colada. Entendes? Porque já saiste essa fase. E qdo chegares aos 2, que está pertoooooooooooooooooooo, vais já só cair com um joelho no chão....EU CONTINUO A ACREDITAR MT EM TI!
bjsssss mts pra ti que és uma VENCEDORA

Catarina Vitória disse...

Ois=)

Selinho para ti no meu blog;)

Continua firme na tua "luta";)

Beijinhos

resolução minha disse...

olá! Também conheci uma história assim...

Boa sorte para a tua luta conta os quilos!
Bj

Gorda (muito gorda e que nunca mais emagrece porque é burra e teimosa!) disse...

Olá

Não sei se já comentei no teu blog, mas já o li mais que uma vez. Se na altura não comentei comento agora.

Infelizmente há homens que são assim: arranjam uma miuda que até é gira e tal, fazem um show off ao pé dos amigos e depois se ela tem 2 ou 3 kgs a mais ou mais neste caso, lá se vai o namoro. Há pois é. Também passei por uma experiência dessas e posso dizer que no meu caso deve ter sido um aumento "minimo" talvez entre 5 a 7 kgs, mas foi o suficiente para ele achar que já não servia de barbie. Mas como tudo na vida, essas experiências têm o seu lado bom: vemos logo que tipo de homem são.

O facto é que muitas vezes também a culpa pela diminuição do desejo é nossa, porque temos a mania de apontar os nossos defeitos, as nossas banhas, ao nosso namorado e temos que aprender a deixar isso para as amigas. E aceitar os nossos corpos para podermos ter uma sexualidade feliz (e ui! eu tenho mesmo problemas com isso!).

É complicado as x a gente tirar a roupa e não ter para mostrar aquilo que gostaríamos...mas também quase ninguém é perfeito! Se é assim que somos temos que ter orgulho em nós (isto sou eu a tentar convencer-me - quando na verdade isso é dificilimo de se fazer especialmente com as ideias que temos do que é um corpo bonito).

Espero que dês bons conselhos a tua amiga essencialmente baseados em: se ele não gosta de ti gorda é porque tb nao gostava de ti magra.

Beijos

Da gordura à formosura disse...

Eu penso que por mais que digamos que não, a opinião dos outros sobre nós nos afecta sempre. Principalmente quando se trata de quem amamos.
A história dessa rapariga não é nada absurda para mim, porque já passei por algo parecido. Só que no caso fui eu que pus um ponto final mna relação, mas por motivos que não interessam para aqui. Mas de facto essa "pessoa" também me criticava por eu ser gorda e tratava-me mal. O irónico da coisa é que ele era bem mais gordo do que eu, mas enfim...
Finalmente chega a altura em que abrimos os olhos e nos começamos a respeitar a nós próprias. Porque deixarmos alguém tratar-nos assim é estarmos a faltar ao respeito a nós próprias.
Fizeste bem em conversar com ela, acredito que isso a vá ajudar a longo prazo. porue enquanto ela não começar a curar a ferida que tem no coração vai ser bastante complicado.
Beijinhos e boa sorte para essa menina.

Lotus Blossom disse...

A chave é termos ou irmos ganhando: amor próprio, auto confiança e auto estima.
Eu falo mas tenho um longo caminho nesse sentido.
Força para todas nós que temos de nos valorizar e chegarmos a uma situação pessoal mais compensadora. As amigas são essenciais em todas as fases mas quando acabamos uma relação de longa data e engordamos muito são ainda pais necessárias! Beijos.